Jornalismo e RP independentes

MEC torna Jornalismo e Relações Públicas cursos independentes

Novas diretrizes passam a valer a partir do ano que vem. Os cursos deixarão de ser habilitações, o que torna o formado não mais bacharel em Comunicação Social.

 

jornalismo

Os vestibulares do Brasil terão mudanças na Comunicação Social. Graças às novas diretrizes curriculares de Jornalismo e de Relações Públicas (RP), homologadas pelo Ministério da Educação (MEC) em 2013, os cursos deixarão de ser habilitações, o que torna o formado não mais bacharel em Comunicação Social, e sim, em Jornalismo ou Relações Públicas.

A comissão de especialistas instituída pelo MEC considerou que a Comunicação Social é um campo de estudo – assim como saúde.

“A formação passa a ser centrada no Jornalismo e em RP, e não na Comunicação. Os dois primeiros são profissões, o terceiro é área de conhecimento. Foi o entendimento que prevaleceu, embora não seja consenso”, diz Virginia Fonseca, chefe do Departamento de Comunicação e coordenadora da comissão que elaborou o projeto pedagógico do curso de Jornalismo da UFRGS.

O currículo será afetado. Mudanças de carga horária, regulamentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e do estágio supervisionado são as principais. Atualizações que levam em conta o mercado de trabalho também serão feitas, como foco no jornalismo digital (o impresso deixa de ser eixo estruturante) no caso do Jornalismo. O prazo para a adaptação das universidades se encerra neste ano.

O que muda

– Jornalismo e Relações Públicas deixam de ser habilitações de Comunicação Social e passam a ter a nomenclatura do curso em si.

– Quem se forma nessas áreas não será mais bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo ou Relações Públicas, e sim bacharel em Jornalismo ou Relações Públicas.

– Regulamentação das atividades do TCC e do estágio curricular supervisionado – obrigatório, dentro da área de atuação e de, no mínimo, 200 horas.

– A carga horária mínima passa de 2,7 mil para 3 mil horas no Jornalismo. Em RP,  de 2,7 mil para 3,2 mil horas.

– Há uma tentativa de ampliação da atuação profissional, com indicação a ensinamentos de empreendedorismo, por exemplo.

– No Jornalismo, o jornal impresso deixa de ser eixo principal de estudo e dá espaço ao digital.

O que permanece

– O TCC ainda pode tratar da comunicação como um todo.

– Os cursos manterão cadeiras em comum.

– Competências básicas dos egressos.

Anúncios