TV ultra HD

Sistema capta imagens 16 vezes mais nítidas que as atuais.

Daniela BraunDo G1, em São Paulo

Protótipo de UHDTV com tela de 85 polegadas exibido pela Sharp na Consumer Electronics Show (CES) 2012. (Foto: Reuters)
Protótipo de UHDTV com tela de 85 polegadas exibido pela Sharp na Consumer Electronics Show (CES) 2012. (Foto: Reuters)
Veja a evolução da tecnologia para o padrão UHDTV (Ultra High Definition Television) em 8K (Foto: Arte/G1)

O carnaval 2013 será a plataforma de testes da primeira captação de imagens no padrão UHDTV (Ultra High Definition Television) em 8K, no Brasil, em uma coprodução da emissora japonesa NHK com a TV Globo, no Rio de Janeiro.

Essa tecnologia mostra imagens 16 vezes mais nítidas que o padrão atual de alta definição e tem o objetivo de dar ao telespectador uma sensação de “imersão”, de estar dentro da tela. Não há previsão de quando TVs 8K estarão à venda em lojas.

O teste no Rio serve para aprender mais sobre a tecnologia. Em março, a NHK exibirá no Japão um programa sobre o UHDTV com imagens do ‘making of’ (bastidores) do carnaval brasileiro. A Globo prevê mostrar a experiência em feiras do setor.

A tecnologia UHDTV em 8K, também conhecida como Super Hi-Vision, está em desenvolvimento no Japão, sob a liderança da NHK. Ela permite reproduzir imagens com até 7.680 x 4.320 pixels (33,2 megapixels), que representa 16 vezes o número de pixels permitidos em uma imagem HD (High Definition) atual. “É como colocar na mesma imagem 16 telas de alta definição”, compara Liliana Nakonechnyj, diretora de Engenharia de Telecomunicações e Afiliadas da TV Globo, que faz parte da coordenação dos testes junto à NHK.

Para ensaiar a TV do futuro, a NHK enviará 17 engenheiros e seis toneladas de equipamentos ao Sambódromo do Rio, onde serão captadas e exibidas imagens dos desfiles das escolas de samba do grupo especial. “Os desfiles têm um conteúdo de imagem com muitos detalhes e cores, importantes para mostrar novas tecnologias”, nota Liliana.

A experiência servirá de aprendizado para a equipe da TV Globo, que já possui uma parceria tecnológica com a NHK. “Nós daremos apoio e vamos aprendendo junto com eles”, diz a diretora de engenharia e telecomunicações, referindo-se a cinegrafistas, diretores de TV, produtores e outros profissionais de produção da TV Globo, que trabalharão ao lado dos engenheiros do Japão na Marquês de Sapucaí.

Atualmente há poucos protótipos que captam imagens em 8K. Para o carnaval, a NHK trará duas câmeras especiais e equipamentos de captura de áudio com 22,2 canais (o padrão atual é de 5,1 canais). “Você pode ouvir o som como se estivesse na avenida”, conta Liliana.

As equipes envolvidas na coprodução terão acesso às imagens captadas em 8K na central técnica da TV Globo no Sambódromo, onde será instalada uma TV com tela de 85 polegadas vinda do Japão, que ainda não está disponível comercialmente. Para reproduzir as imagens na tela foi feita uma adaptação por meio de 16 cabos HD.

TV que abraça
Ao oferecer melhor qualidade de imagem e som a tecnologia UHDTV não só trará telas cada vez maiores à sala de estar, como vai aproximar o telespectador o telespectador da TV. “À medida que aumenta a definição da imagem, a pessoa fica mais próxima à tela”, diz Liliana. O objetivo, segundo ela, é trazer ao telespectador a sensação de imersão. “E nisso o áudio também ajuda muito. A pessoa vai sentir muito mais como se estivesse participando daquele programa.”

Com a evolução tecnológica, na prática, a distância ideal entre o telespectatdor e a TV vai diminuir. “A distância ideal da TV de tubo é de sete vezes a altura da tela. Hoje uma TV digital exige três vezes esta altura. Para as novas TVs de 4K [3840 × 2160 pixels], a relação vai a 1,5, então se você tem uma tela de 1 metro de altura vai ficar a um metro e meio de distância. Para as futuras telas de 8K, a distância ideal será 0,75, ou seja, a pessoa se sentirá bem vendo TV a distância de 75 centímetros de uma tela com a mesma altura de 1 metro. É como se aquela tela estivesse te abraçando”, explica.

O preço da experiência em 8K ainda não pode ser estimado, mas o Brasil já começou a receber os primeiros modelos 4K no fim de 2012, como a TV 4K de 84 polegadas vendida pela LG por R$ 45 mil. A Sony, por exemplo, oferece seu modelo de 84 polegadas somente sob encomenda pelo preço sugerido de R$ 100 mil.

Demonstração e desenvolvimento
Após o carnaval, a NHK também vai registrar imagens da cidade do Rio de Janeiro em 8K. O objetivo, segundo Liliana, é compor um material que sirva tanto para a demonstração em eventos de tecnologia, como para o desenvolvimento de equipamentos que suportem o padrão. A feira National Association of Broadcasters (NAB), que acontece em abril, na cidade de Las Vegas (EUA), será um dos palcos do carnaval brasileiro em altíssima definição.

O início das transmissões no formato 8K está previsto para a partir de 2016, no Japão, começando com transmissões por satélite. Posteriormente há um planejamento para fazer transmissões terrestres, por meio de torres de televisão, como é feita a transmissão das redes de TV aberta.

O Brasil está na fase de expansão da TV de alta definição (HD) para cidades do interior, porém conforme nota Liliana, já existe o desenvolvimento da tecnologia de próxima geração. A TV não está parada. Ela continua evoluindo e nós estamos atentos a este desenvolvimento buscando aprender e entender bem como são essas novas tecnologias”, conclui.